sábado, 9 de junho de 2012

Terceira rodada do Campeonato Brasileiro

O campeonato ainda está no começo, mas os times cariocas estão bem colocados na competição com o Vasco da Gama na liderança! Fla e Flu arrancam um empate fora de casa. Só a lamentar a primeira derrota do futebol do Rio com a incrível virada que o Botafogo levou dentro de casa...







Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ) 
Data: 6 de junho de 2012
Público: 4.987 pagantes  Renda. R$ 160.060,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Emerson Augusto de Carvalho (Fifa-SP)
Cartão Amarelo:Rodolfo e Nilton (Vas); Lúcio (Nau)
Gols:
VASCO: Alecsandro aos 22 minutos do primeiro tempo e 23 do segundo; Felipe aos 35 minutos do primeiro tempo; Juninho Pernambucano aos 16 minutos do segundo tempo
NÁUTICO: Martinez aos 21 minutos e Araújo aos 43 minutos do segundo tempo

VASCO: Fernando Prass, Fagner (Allan), Renato Silva, Rodolfo e Felipe; Nilton, Fellipe Bastos, Juninho Pernambucano e Diego Souza (Wiliam Barbio); Eder Luis (Carlos Alberto) e Alecsandro
Técnico:Cristóvão Borges

NÁUTICO: Gideão, Auremir, Ronaldo Alves, Marlon (Márcio Rosário) e Lúcio; Derley, Elicarlos, Martinez e Ramón (Souza); Kim (Rhayner) e Araújo
Técnico: Alexandre Gallo
COMENTÁRIOS DE MAYCON LIMA
Como era de se esperar o Vasco se impôs o jogo inteiro,dominou o jogo praticamente todo e conseguiu um ótimo resultado em casa.Com belas atuações de Felipe,Juninho, Alecsandro e Fagner o time deu show,apesar de algumas falhas defensivas e Cristóvão acertando na parte tática do time. Alecsandro marcou dois gols e chegou a quatro no Brasileiro, assumindo a artilharia da competição. 
Com 100% de aproveitamento,o time confirma uma boa fase com três vitórias seguidas no brasileirão e assume a ponta da tabela. 
E o Vasco mostrando a cada jogo que não se abalou com a derrota para o Corinthians há 2 semanas
E ainda há mais expectativas com esse time,porque ainda espera as voltas de Dedé e Rômulo,titulares absolutos no time.
O Vasco volta a campo no próximo domingo, quando enfrenta o Bahia, em Salvador.




Local: Estádio Vila Belmiro, Santos (SP) 
Data: 6 de junho de 2012
Público: 4.080 pagantes  Renda: R$ 81.260,00
Árbitro: Jaílson Macedo Freitas (BA) 
Assistentes: Adson Lopes Leal (BA) e Luiz Carlos Teixeira (BA) 
Cartões amarelos: Edu Dracena, Adriano, Elano e Alan Kardec (Santos); Edinho (Fluminense)
Gols: 
SANTOS: Renteria, aos quatro minutos do primeiro tempo
FLUMINENSE: Carlinhos, de pênalti, aos 25 minutos do primeiro tempo

SANTOS: Aranha; Maranhão, Edu Dracena, Durval e Juan (Felipe Anderson); Adriano, Arouca, Elano (Geuvânio), Léo e Alan Kardec (Victor Andrade); Renteria
Técnico: Muricy Ramalho

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Bruno, Gum, Anderson e Carlinhos; Edinho, Jean, Wagner e Lancine (Lucas Patinho); Marcos Junior (Matheus Carvalho) e Samuel (Michael Vinícius) 
Técnico: Abel Braga
Não chegou a ser um bom jogo. Flu e Santos estavam muito desfalcados. Mas teve correria o tempo todo, com a garotada dos dois lados jogando com muita vontade. Os garotos de Xerém jogaram melhor, tiveram mais a posse de bola, mas acho que o Flu se ressentiu de um bom finalizador, um homem de área mais decisivo. Coube ao lateral Carlinhos ser o destaque do jogo, dando uma boa saída de jogo pela ponta esquerda, foi inclusive a jogada do gol tricolor, onde ele avançou e foi parado com falta. Bom, foi nítido fora da área, mas o juiz baiano Jaílson Macedo Freitas marcou a penalidade. O camisa 6, cheio de moral, pegou a bola e mandou pro fundo das redes, aos 25 minutos. Antes, numa falha do Edinho na saída de bola, Renteria partiu sozinho e mandou pro fundo das redes de Cavalieri para abrir o placar, aos 4 minutos. O Flu seguiu com mais posse de bola, mas pecando nas finalizações.
Panorama que não se alterou na segunda etapa. Um jogo cada vez mais corrido, nem tanto técnico, mas de muita vontade. O Santos só ameaçava em alguns lampejos, enquanto que no Flu o lateral Carlinhos mandava na partida. Quase fez um gol de placa, fazendo fila na defesa do Peixe, até ser parado pelo Adriano. Na sobra, Jean, outro que vem se destacando, chutar por cima do gol.
Aos 20 minutos, o lance polêmico que poderia dar ao Flu a virada no jogo: Marcos Junior passou pra Jean, que invadiu a área e cruzou rasteiro, o goleiro do Peixe, Aranha, deu rebote e Samuel cabeceou pro gol no rebote, mas o juiz, atendendo o pedido do assistente marcou impedimento que não existiu.
Os dois técnicos seguiram mudando os times, enchendo de garotos, mas o placar ficou no 1X1 mesmo.
Valeu, a garotada está correndo, se esforçando, mas o Flu precisa dos seus veteranos, pois a competição é muito dura; é preciso aliar a experiência com a juventude, temos craques de bola, como Fred e Deco e garotos de muito futuro, como Marcos Junior. A competição ainda está começando, tem muita água pra passar debaixo dessa ponte. E que venha o Inter!!!
Saudações Tricolores, vence o Fluminense!!!








Local: Estádio Moisés Lucarelli, Campinas (SP)
Data: 6 de junho de 2012
Público: 5.365 pagantes  Renda: R$ 110.417,00
Árbitro: Wagner Reway (MT)
Assistentes: Fábio Pereira (TO) e Lincoln Taques (MT)
Cartões amarelos: Thiago Alves, Renê Júnior, Caio e João (Ponte Preta); Deivid, Wellington Silva, Vagner Love e Ibson (Flamengo)
Cartão vermelho: Roger (Ponte Preta)
GOLS: PONTE PRETA: Renê Júnior, aos 15min do primeiro tempo; João Paulo, aos 5min do segundo tempo
FLAMENGO: Renato Abreu, aos 28min do primeiro tempo; Vagner Love, aos 48min do segundo tempo

PONTE PRETA: Édson Bastos, Cicinho, Thiago Alves, Ferron e João Paulo; Baraka, João, Renê Júnior (Somália) e Marcinho (Nikão); André Luis (Caio) e Roger
Técnico: Gilson Kleina

FLAMENGO: Paulo Victor, Leonardo Moura (Wellington Silva), Welinton, Marllon e Magal; Aírton, Kléberson (Bottinelli), Renato Abreu e Ibson; Deivid (Negueba) e Vagner Love
Técnico: Joel Santana
As trombetas do apocalipse

No ano em que o "fim do mundo" irá acontecer no calendário maia parece que o fim foi do futebol rubro negro. No Moisés Lucarelli, num campo castigado pela chuva e pelo futebol apresentado pelos dois times o Flamengo obtém mais um empate deixando a impressão que a luta será contra o rebaixamento.
Os problemas, que são muitos, são os mesmos apresentados desde o segundo turno do brasileirão passado. Fora de campo uma diretoria omissa, incompetente, irresponsável com conselhos que visam o próprio umbigo numa eterna guerra de vaidades entre situação e oposição. Acredite nos grupos políticos do Flamengo são raros aqueles que se salvam pois deveriam, antes de mais nada honrar compromissos básicos como pagamento a atletas e funcionários. Dentro de campo é o reflexo do lado de fora temos um time descompromissado, confuso e MUITO deficiente em seu sistema defensivo e em seu meio de campo onde os incríveis quatro volantes não conseguem dar o mínimo de segurança e menos ainda criatividade.
Diante desse cenário pela enésima vez o adversário pressiona o Flamengo não valoriza a posse de bola e a defesa entrega em gols dignos de comédia pastelão. Léo Moura, Wellinton e Magal protagonizaram o bola murcha da rodada e a Ponte faz 1 a 0 com Renê Junior. Com a estratégia de matar todos os contra ataques com falta a Macaca travava o meio campo facilitada com a irritante lentidão e falta de movimentação do Mengo. Um espetáculo grotesco de se ver com 454756 passes errados por segundo. Mas, sempre ele o herói, Vagner Love faz boa jogada individual enfileira vários marcadores e é parado com (mais uma) falta. Renato Abreu bate e com a ajuda na nuca de Cicinho acerta sua única boa jogada em meses empatando a partida. Léo Moura ainda fez o gol da virada que acabou corretamente sendo anulado. De resto estava realmente torcendo pro primeiro tempo acabar logo e pra minha felicidade aconteceu.
Pensei realmente que o segundo tempo seria melhor mas logo aos 5 minutos no 4218º escanteio cedido pelo Flamengo, bola cruzada e é tirada para a risca da grande área de onde João Paulo chuta de primeira fazendo um belo gol e me fazendo lamentar o fato de ainda estar acordado vendo o jogo. Para completar Joel começa a substituir entra Botinelli no lugar de um apagado Kleberson queimando a segunda substituição já que Léo Moura, uma das poucas esperanças de criatividade do Fla, saíra alegando cansaço muscular para a entrada de Wellington Silva que ao menos não comprometeu. Aos 28 ele tira o Deivid, uma nulidade em campo, para a entrada de Negueba um jogador leve que gosta de conduzir a bola num campo pesado. Joel pede pra sair! 
Tivemos sorte que estranhamente a Ponte quis segurar o resultado diante de um time que não agredia e recuou demais o castigo veio nos acréscimos com um gol de cabeça do melhor jogador do Flamengo disparado Vagner Love. Fim de jogo e pelo futebol demonstrado as trombetas do apocalipse começam a ressoar cedo na Gávea dessa vez.



Local: Estádio Olímpico João Havelange, Rio de Janeiro (RJ) 
Data: 7 de junho de 2012
Público: 5.256 pagantes. Renda: R$ 206.890,00
Árbitro: Fabrício Neves Correa (RS) 
Assistentes: Tatiana de Freitas (Fifa-RS) e José Eduardo Calza (RS) 
Cartões Amarelos: Fábio Ferreira, Jadson, Milton Raphael (Botafogo); Montillo, Diego Renan, Mateus e Charles (Cruzeiro)
Gols: 
BOTAFOGO: Amaral (contra) aos 20 minutos do primeiro tempo e Herrera aos 24 minutos do segundo tempo
CRUZEIRO: Anselmo Ramon aos 28, Everton aos 30 e Wellington Paulista aos 34 minutos do segundo tempo

BOTAFOGO: Mílton Raphael; Lucas, Fábio Ferreira, Brinner e Márcio Azevedo; Jadson, Renato, Andrezinho (Elkeson), Vítor Júnior e Maicosuel; Herrera
Técnico: Oswaldo de Oliveira

CRUZEIRO: Fábio; Diego Renan, Léo, Mateus e Marcelo Oliveira (Everton); Amaral, Charles, Tinga (Anselmo Ramon) e Souza (Fabinho); Montillo e Wellington Paulista 
Técnico: Celso Roth
E a primeira derrota veio em grande estilo!!!
Depois de abrir uma vantagem de dois gols o Botafogo cochila e deixa o Cruzeiro virar o jogo em 6 minutos!!!
Com um bom começo o Botafogo faz dois gols, um contra do zagueiro Amaral aos 20 minutos do primeiro tempo e estava muito bem no jogo e logo no segundo tempo faz o segundo com Herrera aos 23 minutos.
Mas com um cochilo danado e com o Cruzeiro acreditando até o ultimo minuto, o time de Minas Gerais vira com Anselmo Ramon, Everton e Wellington Paulista de pênalti cometido por Milton Raphael em Montillo, goleiro que fazia sua estréia no gol do alvinegro no lugar de Renan machucado e de Jefferson que está com a Seleção, mudando a história de um jogo que parecia fácil pro Fogão. Mas o futebol já deu provas suficientes de que é preciso estar atento o jogo inteiro até o apito final, foi o que aconteceu nesta quinta no Engenhão, não sei se foi talvez por estar desfalcado de alguns jogadores ou se os que estavam voltando de contusão como Andrezinho e Fábio Ferreira não deram conta do recado, mas a verdade é que o time simplesmente parou de jogar e se deixou dominar tomando esta virada que foi sem dúvida a mais emblemática até agora neste campeonato, vamos ver se o time se acerta para as próximas partidas e não dá este mole de novo.
Acorda Fogão!!! O Brasileirão já começou!!!
Vamos lá Fogão!!!!

VALEU GALERA, ATÉ A PRÓXIMA!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário