sexta-feira, 2 de março de 2012

Primeira rodada da Taça Rio 2º turno do Campeonato Estadua

Depois do título do Fluminense, vamos para o segundo turno, tudo do zero de novo. E com zero ponto estão Fla e Flu, que estrearam perdendo: o Flu para o Resende e o Fla para o Boavista, esse jogo muito polêmico, ambas partidas pelo mesmo placar: 2x1. O Vasco da Gama tropeçou no Bonsucesso em São Januário, 2x2. Mas o Botafogo salvou a galera, com uma boa vitória, de virada, por 4x2 lá em Campos.


Local: Estádio da Cidadania, em Volta Redonda (RJ) 
Data: 29 de fevereiro de 2012
Público: 659 pagantes Renda: R$ 12.060,00
Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ) 
Assistentes: Dibert Pedrosa Moises (RJ) e Francisco de Sousa (RJ) 
Cartões amarelos: Elias, Felipe Machado, Mauro e Bertotto (Resende); Wallace (Fluminense) 
GOLS: RESENDE: Marcel, aos 5min do primeiro tempo; Marcelo Régis, aos 19min do segundo tempo 
FLUMINENSE: Rafael Sóbis, aos 30min do primeiro tempo

RESENDE: Mauro, Wellington, Filipe Machado, Facundo Gómez e Marcelo; Léo Silva, Bertotto (Emerson), Marcel (Hiroshi) e Iuri Pimentel; Elias e Marcelo Régis (Valdeir) 
Técnico: Paulo Campos

FLUMINENSE: Ricardo Berna, Souza (Wallace), Digão, Marcio Rosário e Thiago Carleto; Fábio (Samuel), Jean, Wagner e Lanzini (Matheus Carvalho); Rafael Sobis e Rafael Moura 
Técnico: Abel Braga

Para começar é impossível admitir o FLUMINENSE perder pra esses times do interior. Fazer elogios não significa que eu esteja achando tudo bom e fazer críticas não significa que nada presta. Desinteresse e desestímulo visível no time, cadê aquele Time de Guerreiros da Final da Taça Guanabara,(sei que não era os titulares nesse jogo) mas o espírito tem que prevalecer seja no time A ou B, é exatamente isso que os torcedores querem: um time com a verdadeira cara do Fluminense e com a alma de raça, com pura emoção na ponta da chuteira. Acho que é por aí. Que a ansiedade por títulos não faça com que atropelemos as coisas. Esse ano ainda tem tudo pra ser histórico para o Fluminense. Vamos fazer parte disso cobrando e exigindo melhoras sempre, mas de uma forma positiva e mais racional.


A minha critica do jogo é exatamente em cima do futebol apresentado, pela mecanica de jogo, pelas jogadas, pelos dribles, pelo futebol consistente que quando pega uma equipe mais fraca tem que amassar, (uma zaga bem postada)! Mesmo com Lanzini, Wagner municiando Rafael Moura e Sobis, o time perdeu por 2x1 pro Resende, desorganização em campo, não conseguiu levar muito perigo ao bem montado Resende. E a defesa ainda bateu cabeça nos dois lances de gol, é lamentável! A zaga é o principal problema, SÃO NECESSÁRIOS DOIS ZAGUEIROS TITULARES E NÃO UM, apesar do Leandro Eusébio e Gum não serem tão ruins assim mas são limitados precisamos mais do que isso para os momentos de decisão que virão. quanto aos outros zagueiros prefiro nem falar.

Sei que esta não é a hora de crucificar ninguém. Eu acredito neste time, pois como alguém que usa a RAZÃO sobre a EMOÇÃO, eu vejo que estamos no caminho certo, não apenas tendo em conta este ano, mas todos os anos anteriores, quem tiver paciência vai vê, depois me cobrem aqui se o Fluminense não erguer no mínimo 2 titulos de “expressão” antes que a Copa do Mundo tenha inicio por aqui. ST


Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ) 
Data: 29 de fevereiro de 2012
Público: 909 pagantes Renda: R$ 23.310,00
Árbitro: Eduardo Cordeiro Guimarães (RJ) 
Assistentes: Diogo Carvalho Silva (RJ) e Wendel Gouvea (RJ) 
Cartão Amarelo: Fagner e Alecsandro (Vasco); Dieguinho, Márcio Guerreiro (Bonsucesso)
Cartão Vermelho: Jéfferson (Bonsucesso)
Gols: VASCO: Alecsandro aos dois minutos do primeiro tempo; Felipe aos 13 minutos do segundo tempo
BONSUCESSO: Diogo aos 17 minutos e Marco Goiano aos 25 minutos do segundo tempo

VASCO: Fernando Prass; Fagner, Renato Silva, Rodolfo e Thiago Feltri; Eduardo Costa, Felipe Bastos (Nilton) e Felipe (Diego Souza); Wiliam Barbio, Alecsandro e Tenório (Juninho Pernambucano) 
Técnico: Cristóvão Borges

BONSUCESSO: Saulo; Felipe, Admilton, Patrick Hiago e Dieguinho (Ratinho); Bóvio (Ferreira),Márcio Guerreiro, Diogo, Marco Goiano (Vinicius) e Juninho, Jefferson 
Técnico: Marcão
Dia 1º de março a nossa e maravilhosa cidade do Rio de Janeiro faz aniversário, e junto com minha visão do jogo trago meus agradecimentos a está cidade que só me traz alegria.
Viver nessa cidade é muito bom, não há lugar melhor no mundo, sinceramente, nada de bairrismo aqui, só quem vive aqui para saber disso. É claro que existe uma galera aí que gosta de acabar com a alegria da gente, como os donos dos transportes públicos, os proprietários de imóveis que andam cobrando preços de Manhattan por aqui, nossos dirigentes políticos que governam esta cidade para si e os times do futebol carioca.
Sim, os times do Rio de Janeiro andam tirando nossa paciência, não conheço um carioca que esteja satisfeito com seu time, e não é aquela insatisfação comum do torcedor (que, convenhamos, adora reclamar), porém é um desconforto legítimo, pois nossos times, os chamados "quatro grandes do Rio", estão uma lástima.
Como hoje é aniversário da cidade do Rio de Janeiro, podemos dizer que todos os cariocas fazem aniversário também, pois o que seria do Rio se não fosse o carioca? É bem claro para mim esta simbiose. Por isso, nesta minha resenha, utilizarei de algumas gírias características do carioca para conduzir meu raciocínio:

P@#$%, TÁ DE SACANAGEM, NÉ?
É vergonhosa a defesa do Vasco quando o Dedé não está jogando. Aqueles dois zagueiros do Vasco, os quais nem vou citar os nomes por vergonha, bateram cabeça ontem.Não foi apenas uma vez, mas várias vezes que os atacantes do Bonsucesso passaram pelas costas daqueles dois.Realmente o Dedé leva aquela zaga nas costas.

QUAL FOI?
Ele deu o passe para o gol de Alecsandro, mas mesmo assim a atuação de Fagner não foi uma das melhores, em certos momentos do jogo ele desapareceu, talvez nem por culpa dele, mas pela falta de organização do próprio time.

DEU MOLE!
Não se poderia esperar menos do Muralha da Colina; ele , como todos sabem, sai muito mal do gol.Cara, ele não aprendeu e não vai mais aprender, enquanto o Gigante da Colina tiver como seu guarda-redes o Prass, os laterais e a zaga terá que impedir
as bolas alçadas na área, senão toda vez o torcedor ficará ansioso, putz! 

QUE MANÉ UM SÓ!
Ontem ficou claro que Reizinho e Maestro podem jogar, sim, juntos. Evidentemente o time fica mais lento, mas ganha em armação, toque de bola e lançamentos. Os dois jogando juntos é uma estratégia que pode ser usada em alguns jogos. 

MÓ VACILÃO!
Nilton ontem tava demais, sério, errava tudo que tentava. No segundo tempo ele errou um passe para lateral, que foi umas das coisas mais horríveis que eu já vi no futebol. Ele anda jogando bem, irregularmente, vai lá, mas ontem ele abusou de fazer besteira. 

TÔ BOLADO!
Não é de hoje que reclamo da desorganização do Vasco em campo, e parece que a cada dia isso piora. Será que alguém tá querendo mesmo ganhar algum título esse ano? 

COÉ MALUCO, TÁ TRANQUILO?
Alecsandro é um dos poucos que pode deitar em sua cama a noite, e realmente ficar em paz com sua consciência. Mesmo que, para mim, ele continue fazendo pouco como atacante, ele, jogo após jogo, anda estufando as redes, e é isso que a galera quer. 

O que posso falar mais? dizer que o Cristóvão é um bom técnico? Seria CAÔ. Dizer que precisamos do Bernado? Que nada, depois de colocar o Vascão na justiça, ele TÁ NA PISTA PRA NEGÓCIO. Só posso elogiar a torcida do Vasco, que ainda acredita no time, e está numa fase apaixonada (se os ingressos para esses jogos com time pequenos fossem mais baratos, certamente a torcida compareceria em peso) e não vai ser MULEQUE, deixando seu time de coração NA MÃO, TÁ LIGADO? 
A cidade do Rio, aos cariocas e a torcida do Vascão eu mando AQUELE ABRAÇO, VALEU? 
Saudações Vascaínas


Local: Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ) 
Data: 29 de fevereiro de 2012
Público: 2.461 pagantes Renda: R$ 37.920,00
Árbitro: Felipe Gomes da Silva (RJ) 
Assistentes: Luiz Cláudio Regazone (RJ) e Andréa de Sá (RJ) 
Cartões amarelos: Bottinelli, Deivid e Felipe (Flamengo); Thiaguinho, Paulo Rodrigues, Julio Cesar, Bruno Costa e Tony (Boavista) 
Cartões vermelhos: Renato Abreu (Flamengo); Thiago (Boavista) 
GOLS: FLAMENGO: Vagner Love, aos 5min do primeiro tempo 
BOAVISTA: Somália, aos 46min do primeiro tempo; Paulo Rodrigues, aos 11min do segundo tempo


FLAMENGO: Felipe; Galhardo, Welinton, David Braz e Junior Cesar; Muralha, Willians (Maldonado), Renato Abreu e Bottinelli (Negueba); Deivid (Diego Maurício) e Vagner Love 
Técnico: Joel Santana


BOAVISTA: Thiago; Sheslon, Bruno Costa, Luiz Alberto e Paulo Rodrigues; Júlio Cesar, Leandro Teixeira, Thiaguinho (Léo Pimenta) e Ernani (Marlon); Tony e Somália (Fabio Braz) 
Técnico: Alfredo Sampaio

Estoque inesgotável de desculpas

Bom, fico me perguntando agora se o problema nos deixou rumo a Porto Alegre. Porque o futebol (?) apresentado continua a envergonhar o mais otimista dos torcedores. Em Macaé, um péssimo resultado fruto de uma atuação horrível desse time do Flamengo. A desculpa do juiz não convence para um time com a folha de pagamento dez vezes superior a do adversário jogar de forma pobre, desinteressada, patética, enfim, não faltariam adjetivos (todos eles ruins) para descrever esse acinte a uma das camisas mais respeitadas do futebol mundial.
A noite seria difícil com os desfalques de Léo Moura e Airton já que Ronaldinho não mudaria em muita coisa a cara do jogo. Não fiquei maluco, que R10 é craque todos que assistem futebol sabem, porém o fato é que ele anda em campo desde o fim do primeiro turno do brasileirão passado. Voltando ao jogo, parecia que uma fácil vitória se desenharia até porque no primeiro ataque Deivid arriscou chute de longa distância e Vágner Love, de forma atabalhoada, aproveitou o rebote para fazer 1 X 0. De forma ridícula, o Fla recuou e cedeu a pressão infrutífera do Boavista. O time de Bacaxá, longe de ser um timaço, aliás, noventa por cento de seus jogadores já foram xingados em algum momento por você torcedor dos quatro times grandes do Rio, não obrigou Felipe a trabalhar tanto. Além disso, proporcionava espaços generosos não aproveitados pela falta de velocidade do meio de campo rubro negro nos contra-ataques.
Meio de campo cheio de volantes que não dão direção alguma ao time e que deixam uma cratera entre meio e ataque. Quando Willians sofreu uma entrada criminosa de Tony que não merecia cartão e sim algemas. Maldonado entrou em campo, mas que substituição infeliz! Será que Joel percebeu que está treinando o Flamengo? Maldonado foi um ótimo volante, convocado com frequência para seleção chilena, mas se arrasta, não entra em forma há dois anos, perde todas na velocidade como na jogada do pênalti infantil que ele cometeu. Somália com categoria cobrou e empatou 1 x 1.
Daí pra frente o jogo foi duro de se ver. Deu pena de bola muito mal tratada pelos jogadores. Tudo isso temperado por um péssimo juiz cuja concepção de aspecto disciplinar é, no mínimo, desastrosa. Pois a parte técnica de todos eles é sofrível como ficou latente no gol da virada do time de Saquarema em cortada digna de Giba, Dante. Talvez homenagem de Sheslon a cidade que abriga o centro de treinamento da federação de vôlei. 2 x 1 Boa Vista. Isso só reforça que a arbitragem é ruim não mal intencionada e que ainda vamos ter árbitros tão ruins ou até piores que esse em competições como a Libertadores e o Brasileiro, logo, isso não pode servir de desculpa.
Houve ainda uma confusão entre os jogadores que pode ser classificada como comédia pastelão. Confesso que torci para Renato Abreu acertar um soco no goleiro do Boavista e ser suspenso até seu contrato com o Flamengo expirar tamanha a inutilidade futebolística do rapaz. Não marca, não passa bem, não ataca, não chuta, não arma, atrasa todas as jogadas que passam pelo seu pé. Ia esquecendo das outras mudanças do treinador. Negueba no lugar do sempre substituido Bottinelli. Até a torcida pediu Negueba... Que fase... E o renegado Diego Mauricio no lugar do Deivid. Pasmem, nenhum dos 78584548 volantes saiu. Pare de brincadeira Joel!!!! E chega de desculpas!!!!





Local: Estádio Godofredo Cruz, em Campos (RJ) 
Data: 1 de março de 2012
Público: 3.209 pagantes   Renda: R$ 88.555,00
Árbitro: Wagner Magalhães (RJ) 
Assistentes: Silbert Sisquim (RJ) e João Luiz de Albuquerque (RJ) 
Cartão Amarelo: Rhayne, Marcos Felipe, Caetano, Pachola, Adalberto(Ame); 
Gols: AMERICANO: Marcos Felipe aos oito minutos do primeiro tempo e Hugo aos 34 minutos do segundo tempo 
BOTAFOGO: Fellype Gabriel aos 31 minutos do primeiro tempo; Renato aos 28 minutos e Herrera aos 32 e Caio aos 45 minutos do segundo tempo

AMERICANO: Erivélton; Alex, Adalberto, Ricardo Braz e Marcos Felipe; Rhayne, Caetano(Marconi), Jader e Pachola; Tardelly(Adão) e Hugo. 
Técnico: Luis Antônio Zaluar

BOTAFOGO: Jéfferson, Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Márcio Azevedo; Marcelo Mattos, Renato, Andrezinho(Felipe Menezes) e Fellype Gabriel(Lucas Zen); Herrera e Willian(Caio). 
Técnico: Oswaldo de Oliveira
Em mais um jogo difícil deste campeonato o Botafogo derrota o Americano pelo placar de 4x2 no estadio Godofredo Cruz, em Campos.
No início do jogo, o Americano mostrou logo que não iria ser fácil pro Fogão, numa jogada meio confusa o time de Campos marca com Marcos Felipe aos 8 minutos do primeiro tempo, mas mesmo com todos os desfalques, o Glorioso correu atrás do prejuízo e com a estréia do Fellype Gabriel(ex-Fla) que se entendeu bem com Andrezinho, o meio campo do Botafogo criou várias jogadas e mesmo com a pontaria dos nossos atacantes não funcionando muito bem um resultado favoravél ao Fogão era uma questão de tempo. Aos 32 minutos, Fellype Gabriel, o estreante da noite, fez o seu primeiro gol com a camisa do Glorioso e assim empatado terminou o primeiro tempo.
Mas no segundo tempo o Fogão voltou com outra cara, sem Willian que não fez um bom primeiro tempo e com Caio no seu lugar o time ganhou mais em velocidade, cabendo a Herrera a função de homem- gol. Porém foi Renato que desempatou com um chute na pequena área após toque de Márcio Azevedo aos 28min. E Herrera marca o seu aos 32min aproveitando cruzamento de Lucas. O Americano que é um time persistente ainda descontaria com Hugo dois
minutos depois, mas nada que preocupasse o time alvinegro que passou a tocar com mais tranquilidade e gastando o tempo. O Botafogo ainda fez mais um com Caio aos 45 fechando o placar.
O importante é que o Glorioso fez uma boa partida e sem alguns de
seus principais jogadores(Loco, Mago e Elkeson) e mesmo assim foi muito eficiente em seu ataque, Fellype jogou bem e ainda temos o Jobson (Jobgol) pra estrear. Bons problemas que o técnico Oswaldo de Oliveira vai ter que resolver durante o ano. Que venha a Taça Rio e vamos pra ganhar.
Vamos lá Fogão!!!!

VALEU GALERA, ATÉ A PRÓXIMA RODADA!!!



2 comentários:

  1. Valeu Sidronio! Gostei muito do seu comentario.

    Ass: Luciano

    ResponderExcluir
  2. Vasco 3 x 0 Madureira, comenta esse jogo Sidronio!

    ResponderExcluir